22.1.16

dor


Dor

Queria ser poeta
para fingir que não é dor
a dor que sinto.
A dor da impotência
diante de um mundo que quer
respostas urgentes aos seus problemas,
A dor da perca da senilidade
diante tantas ocasiões de erros e acertos.
Vou fingir que não é dor
a dor que sinto
para que o caminhar seja menos penoso,
para que as lágrimas não caiam.
Vou fingir que não é dor a dor que sinto.

2 comentários:

Sergio Santana de Oliveira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sergio Santana de Oliveira disse...

Ola amigo, está de parabéns pelo blogs.